Anjo da música (ou Sol)

Às vezes, para me acompanhar na escrita, gosto de ter música de fundo. Não escolhi; deixei que os circuitos electrónicos de um computador o fizessem por mim aleatoriamente. Deram-me de presente o “Ponto de Luz” da Sara Tavares.

Nunca me tinha ocorrido que as bênçãos pudessem vir sob a forma de megabytes, mas a verdade é que nunca manhã difícil esse anjo da música veio fazer-me cafuné com a voz.

Obrigado Sara Tavares, és um Sol.

Ser

O primeiro passo para ser alguma coisa é fazê-lo.
Se queres ser maratonista, começa a correr.
Se queres ser escritor escreve.
Se queres ser bom, pratica a bondade.
Se queres ser cantor, canta

Não tens que ser recordista mundial,
nem o Shakespeare,
nem a Madre Teresa de Calcutá,
nem o Salvador Sobral

no entanto todos eles têm algo em comum,
Começaram.

Lógica da verdade

Fernando Pessoa«Os argumentos são, quase sempre, mais verdadeiros do que os factos.
A lógica é o nosso critério de verdade, e é nos argumentos, e não nos factos, que pode haver lógica.»

Fernando Pessoa

Dedicatória (de Jorge Luís Borges)

Há um pequeno conjunto de contos de Jorge Luís Borges, que ficou compilado com o nome de “História Universal da Infâmia” e se lê de um fôlego só. Na dedicatória escreveu isto:

Jorge Luís Borges por Beti Alonso“…I offer her that kernel of myself that i have saved, somehow – the central heart that deal not in words, traffics not with dreams and is untouched by time, by joy, by adversities.”

numa tradução modesta seria:

“… Ofereço-lhe aquele âmago de mim que consegui salvar, de alguma maneira – o coração central que não lida com palavras, não trafica com sonhos e que é intocado pelo tempo, pela alegria, por adversidades.”

Não é uma coisa bonita de se dar?