Silêncio, fumo, barulho e nada..

O barulho correu frenético até se alojar, ensurdecedor, no fundo dos tímpanos. Não dizia nada, tomava apenas o seu lugar e fazia-o com a veemência de um Todo-Poderoso.

O fumo continuava perdido, fora do cigarro, espraiava-se lento pela sala claustrofóbica, tornando-a pesada e doentia.
Os olhos raiados de sangue queriam jorrar das órbitas, mas os nervos matinham-nos agarrados ao rosto esburacado de bexigas.
O tempo passava num ritmo cardíaco sem crença e compassado com música decadente que, entornada sem vontade dum rádio a pilhas, embalava a densidade do ambiente num pêndulo de inutilidade.

Foi assim que vivo.
Será assim que nasci.
É assim que morri.

Sacrifício

Vale a pena?
Amar alguém
só por isso,

sem importar mais nada,
nem eu, nem tu
Gostar só porque sim.

Vale a pena?
Limpar o chão para ser sujo?
Perder para chegar?
Correr devagar para ser outro a ganhar?

Não será melhor deixar?
Deixar e ser como todos…
Amar porque se é amado;
Dar porque há esperança;
sentir, e fazer
e desfazer por sentir diferente
e refazer por não sentir;
lutar por nada como um tolo;
derrubar os muros por ser fraco;
não seria melhor assim?

Ti
06/2006

Ouvi Dizer

Ouvi dizer
Que o nosso amor acabou
Pois eu não tive a noção do seu fim.
Pelo que eu já tentei
Eu não vou vê-lo em mim
Se eu não tive a noção de ver nascer o homem.

E ao que eu vejo
Tudo foi para ti
Uma estúpida canção que só eu ouvi
E eu fiquei com tanto para dar
E agora não vais achar nada bem
Que eu pague a conta em raiva

E pudesse eu pagar de outra forma
E pudesse eu pagar de outra forma
E pudesse eu pagar de outra forma

Ouvi dizer
Que o mundo acaba amanhã
E eu tinha tantos planos p’ra depois
Fui eu quem virou as páginas
Na pressa de chegar até nós
Sem tirar das palavras seu cruel sentido.

Sobre a razão estar cega
Resta-me apenas uma razão
Um dia vais ser tu
E um homem como tu
Como eu não fui
Um dia vou-te ouvir dizer

E pudesse eu pagar de outra forma
E pudesse eu pagar de outra forma
E pudesse eu pagar de outra forma

Sei que um dia vais dizer

E pudesse eu pagar de outra forma
E pudesse eu pagar de outra forma
E pudesse eu pagar de outra forma

A cidade esta deserta
E alguém escreveu o teu nome em toda a parte
Nas casas, nos carros,
Nas pontes, nas ruas…
Em todo o lado essa palavra repetida ao expoente da loucura
Ora amarga, ora doce
Para nos lembrar que o amor é uma doença
Quando nele julgamos ver a nossa cura

Ornatos Violeta – Ouvi Dizer

MJ

O firmamento está mais iluminado.
Um rei passou. Como todos, também teria que o fazer.

Sabendo que Picasso era uma besta, “Guernica” tornar-se menos genial?

Porque é que sempre que se fala do génio, se dá mais importância ao facto de ser estranho do que ao da sua obra?

Ti                  
27 de Junho de 2009

pancada no ego

O homem via que todos estavam chateados, e por isso chateavam-se ainda mais uns aos outros. Ele tinha razão quando os criticava e lhes dizia que tinham que ser mais positivos, que tinham que parar de exigir dos outros aquilo que eles próprios não faziam; depois terminava sempre dando-se a si mesmo como exemplo: Ele podia não conseguir fazer bem, mas pelo menos tolerava que os outros também assim fossem.
Este homem tinha um discurso que valia milhares, mas ele próprio era uma porcaria.
Vou vê-lo daqui a algum tempo. Espero que esteja mais calado e menos mal.

Adão. 03/2009