hoje ainda não rebentou nada

ExplosionHoje ainda não rebentou nada,
mas não me sinto melhor
continua o pó na estrada
e no ar o mesmo fedor

continua a cheirar a morte
mas estou de pé e posso contar esta história
devia achar que sou bafejado pela sorte
que um dia esta guerra trará glória

mas sei que como todas,
também esta guerra serve para nada
Não vão mudar vontades, nem sequer modas
no fim vão ficar vazios e buracos na estrada

Os que tinham razão e os que não tinham,
vão viver ou morrer
Alguns vão achar que ganharam alguma coisa
terão até a arrogância de celebrar a vitória.
Dirão que ganhou a virtude, que acabou a escória
Tudo melhorará enquanto o pó poisa

Mas quando tudo assentar
não serviu para mudar nada,
descobrir-se-á que a guerra serviu para matar
não mudou a humanidade, nem o preço da empada

melhorarão as esperanças dos que ganharem
arruinar-se-ão ideias que iam mudar tudo para melhor,
e os que sobreviverem, os que ficarem
aprendem novos hinos de cor

uma vez mais vencerá alguém,
alguém perderá
Não vai ganhar o Mal, nem o Bem,
o nada vencerá

Mas não será desta que se aprende.
nem tudo se compra e vende.
Há coisas mais importantes que nós
e valerá talvez a pena morrer por elas,
mas matar não tem nada abaixo
o lodo da virtude é isso.

Uma só atitude pouco importa,
mas uma só atitude tudo infecta
se a linha em que vens foi feita torta
é tua missão fazê-la recta.

EndofWar

Não tenho esperança, nem me é possível redenção
mas para vós, os que vêm em mim bafio bolorento
há audácia, possibilidade e regeneração
haja vontade, coragem e alento!

Sigam! Fazei o que manda o coração
ignorai experiência e velhos medrosos
fazei tudo novo, cagai na oração
sede apaixonados e fervorosos

Adorem o deus verdadeiro,
que é menos que qualquer um de vós
Damascoque deixe da haver macho, fêmea, paneleiro
acabem a pontas soltas e os nós

Agarrem na virtude e no pecado
e queimem-nos como às bruxas do passado

Construam um mundo novo, porra!
baseado somente em felicidade
em que a sobrevivência morra
e se extinga a crueldade

meça-se a riqueza em riso e que errar seja treinar,
que todo o rosto seja liso e as rugas só para enfeitar

 

ou então façam a mesma merda outra vez
Pode ser que daqui a mil anos
tenhamos aprendido a degustá-la como ao vinho.
Seremos escanções de trampa
e teremos a vida que merecemos
finalmente.
Como uma praga de baratas,
depois de extinto o exterminador.

Silêncio, fumo, barulho e nada..

O barulho correu frenético até se alojar, ensurdecedor, no fundo dos tímpanos. Não dizia nada, tomava apenas o seu lugar e fazia-o com a veemência de um Todo-Poderoso.

O fumo continuava perdido, fora do cigarro, espraiava-se lento pela sala claustrofóbica, tornando-a pesada e doentia.
Os olhos raiados de sangue queriam jorrar das órbitas, mas os nervos matinham-nos agarrados ao rosto esburacado de bexigas.
O tempo passava num ritmo cardíaco sem crença e compassado com música decadente que, entornada sem vontade dum rádio a pilhas, embalava a densidade do ambiente num pêndulo de inutilidade.

Foi assim que vivo.
Será assim que nasci.
É assim que morri.

Mulherismo

mulher-da-dana-13010005Hoje, dia internacional da mulher, li com cepticismo que no ano de 2186 teremos finalmente igualdade económica entre homens e mulheres. O Fórum Económico Mundial faz esta previsão optimista, baseado um relatório, segundo o qual as mulheres ganham pouco mais de metade do que os homens.

Não sou feminista, na medida em que o conceito por si só me parece estúpido, vago e antiquado, mas a verdade é que vivemos num mundo estúpido e retrógrado e portanto ideias preconceituosas como igualdade de género fazem todo o sentido, pela simples razão que nem todos os humanos o são.

mais trampa

threemonkeysO Presidente do Estados Unidos baniu alguns orgão de comunicação social das conferências de imprensa.
É difícil para todos os outros jornalistas e media recusarem-se a estar presentes nas comunicações desta instituição. Mas se não o fizerem agora, enquanto é difícil, chegará o dia em que será impossível.

Trampa

construirA democracia tem como base de funcionamento o sufrágio e o respeito pelo mesmo. Contestar alguém ou alguma política eleita legitimamente, pode ser justo, mas é também antidemocrata.
Concordo que a democracia é, aparentemente, o melhor sistema político, mas apenas dos que foram experimentados.
Ser democrata implica aceitar que as pessoas ou políticas que a maioria elege tenham direito/dever de ser implementadas.
É óbvio que pode haver nisto algo de pernicioso – há até quem pense, e com razão, que isto é uma espécie de ditadura temporária.
Ao elegermos uma política ou político durante um período de tempo definido, estamos também a comprometer-nos durante esse mesmo período de tempo. Não estou com isto a dizer que nos devemos abster de opinar, ou até de contestar quando estivermos em desacordo, mas quando a democracia decide algo, todos os elementos que a compõem deveriam contribuir para o sucesso.

Há alturas para combater e há alturas para construir.

Cuspe (ou Soneto-Presente)

pissQuero dar-te um presente,
que diga mesmo o que sinto,
que retrate o que acho realmente

porque sempre que te vejo minto
finjo-me indiferente
mas os sentimentos são um labirinto

na realidade quero-te muito
essencialmente contra a parede
parece paixão, mas tem outro intuito
quero só acabar com esta sede

ir à tua derradeira missa,
dançar em cima da tua campa,
festejar por fim a justiça
de seres finalmente trampa