Verdade (ou …)

Não te preocupes. Principalmente com os outros. A certeza e o certo estão dentro de ti, não há verdade noutro local.
Se fores má rês é porque ouves fora o que te é dito dentro.
Os seres humanos não nascem maus, nem bons.
Todos gostamos do bom para nós próprios, mas queremos sempre melhor do que o que temos e, quase sempre, quando mudámos é para procurar o melhor para nós.
Nunca existiu ninguém altruísta, nunca existiu alguém que se deu só para o bem dos outros. Isto não tira virtude aos virtuosos, simplesmente os explica. Eles não o são só porque sim, são-no porque nas as sua roldanas mentais descobriram que o bem deles depende do dos outros. É assim com toda a gente.

Avó

– Avó! No Domingo vou ver a bola em tua casa com os amigos, pode ser?
– Claro! Obrigada por vires!
– Cala-te! Qualquer minuto que passe perto de ti é uma benção! É precioso!
– Obrigada!
– Outra vez?! Adoro-te!
– Obrigada!

Para quê?

Os velhos sabem a resposta à minha pergunta, mas já não se importam com o mundo.

Para que é que serve “deixar obra” para a posteridade?
Para que é que serve investir a vida em criar algo que só as gerações futuras poderão usufruir?
Para que é que serve plantar uma árvore aos 90 anos?

Para que é que serve ter 86 anos?

%d bloggers like this: