Verdade (ou …)

Não te preocupes. Principalmente com os outros. A certeza e o certo estão dentro de ti, não há verdade noutro local.
Se fores má rês é porque ouves fora o que te é dito dentro.
Os seres humanos não nascem maus, nem bons.
Todos gostamos do bom para nós próprios, mas queremos sempre melhor do que o que temos e, quase sempre, quando mudámos é para procurar o melhor para nós.
Nunca existiu ninguém altruísta, nunca existiu alguém que se deu só para o bem dos outros. Isto não tira virtude aos virtuosos, simplesmente os explica. Eles não o são só porque sim, são-no porque nas as sua roldanas mentais descobriram que o bem deles depende do dos outros. É assim com toda a gente.

Para quê?

Os velhos sabem a resposta à minha pergunta, mas já não se importam com o mundo.

Para que é que serve “deixar obra” para a posteridade?
Para que é que serve investir a vida em criar algo que só as gerações futuras poderão usufruir?
Para que é que serve plantar uma árvore aos 90 anos?

Para que é que serve ter 86 anos?

Elogio do egoísta

selfishO egoísta é aquele gajo que se tiver 2 amêndoas, come uma e esconde a outra dos esfomeados, mas se tiver 100, guarda porque sabe que pode precisar delas mais tarde, e quando apodrecem deita-as fora no contentor dos resíduos orgânicos depois de lhes tirar uma foto para pôr no Facebook com a legenda: “mais um contributo para o ambiente”.

O egoísta masturba-se, não fode
preocupa-se, mas não falha
o egoísta tem amigos, mas não sabe se são verdadeiros
o egoísta é rico ou vai ser
o egoísta guarda tudo, porque sabe que, na vida, nada se ganha, nada se perde
mas esquece-se da segunda parte
o egoísta é um cancro,
cresce mais depressa do que os outros, mas é mau.

Cada vez há mais cancros
porque se acha que mais é melhor
e enquanto for assim
será melhor ser cancro do que não ser
será melhor ser egoísta do que não ser.

estúpido

No inicio os homens mais fortes perceberam que podiam derrotar os mais fracos. Depois os mais fracos descobriram a determinação e tornaram-se mais fortes do que os fortes.
Depois os que tinham sido derrotados perceberam que com pedras podiam atingir os fortes à distância e por isso a sua força tornava-se menos vantajosa.
Tudo isto foi no tempo em que o homem era ainda uma espécie de macaco.
Com o desenvolvimento do intelecto ficou tudo exactamente na mesma.
Quando as pedras venceram os punhos, descobriram os paus, e depois os ferros e depois as balas e depois as bombas e depois os mísseis…

Queremos sempre vencer os nossos inimigos. Queremos derrotá-los, ser mais fortes do que eles. Isso torna-nos mais musculados, mais precisos, mais eficazes e mais formidavelmente desumanos.
Responder a um estalo com um murro, é o mesmo que cuspir em que merece. Ser humano é ser mais do que instinto natural, é ter consciência de tudo, é não matar quando a outra opção é morrer. Não digo que consigamos ser sempre humanos, mas ter orgulho em ser estúpido é ser só isso.