mais Epicurismo

 

Lembra-te de comer bem, beber tambem e rir com vontade
mas melhor do que isto até é praticar a sexualidade

Não percas tempo na estrada, não serve pra nada, evita as filas
arranja uma boa mulher, ou um gajo qualquer se fores larilas

Nós vamos todos falecer, patinar, bater as botas
Eu vou esticar o pernil, conviver com as minhocas
Tua vais fechar a pestana e fazer para sempre ó-ó
nós vamos passar a ser húmus, que é uma espécie de cócó

Prova o morango e a romã, a uva e a maçã, o figo e cereja
o mundo tem lindas cores e belos odores, menos em Estarreja

Tenta por todos os meios viver sem receios, não há que temer!
quer tenhas ou não tenhas medo,
mais tarde ou mais cedo vais falecer!!

Nós vamos todos falecer, patinar, bater as botas
Eu vou esticar o pernil, conviver com as minhocas
Tua vais fechar a pestana e fazer para sempre ó-ó
nós vamos passar a ser húmus, que é uma espécie de cócó

Expirar, falecer, extinguir, apagar,
cessar, fenecer, esvair, patinar,
morrer, acabar, definhar, concluir,
perecer, terminar, descansar, sucumbir

Nós vamos todos falecer, patinar, bater as botas
Eu vou esticar o pernil, conviver com as minhocas
Tua vais fechar a pestana e fazer para sempre ó-ó
nós vamos passar a ser húmus, que é uma espécie de cócó

Rústicos pelo Epicurismo – Gato Fedorento

https://www.youtube.com/watch?v=0P3S9xpSBnQ

ap

Para quê?

Os velhos sabem a resposta à minha pergunta, mas já não se importam com o mundo.

Para que é que serve “deixar obra” para a posteridade?
Para que é que serve investir a vida em criar algo que só as gerações futuras poderão usufruir?
Para que é que serve plantar uma árvore aos 90 anos?

Para que é que serve ter 86 anos?

Dissolve

A dissolução é dolorosa e rápida,
a coagulação é dolorosa e lenta.

O amor acabou
e com ele nós
coagulou
não se sabe quando,
mas sabe-se que sim

podemos ficar assim,
coagulados
até nos tornarmos pedra

ou podemos doer
e dissolver-nos,
depois sermos livres
para nos fundirmos.

Cuspe (ou Soneto-Presente)

pissQuero dar-te um presente,
que diga mesmo o que sinto,
que retrate o que acho realmente

porque sempre que te vejo minto
finjo-me indiferente
mas os sentimentos são um labirinto

na realidade quero-te muito
essencialmente contra a parede
parece paixão, mas tem outro intuito
quero só acabar com esta sede

ir à tua derradeira missa,
dançar em cima da tua campa,
festejar por fim a justiça
de seres finalmente trampa